Lar Familiar da Tranquilidade presidido por um leigo

Decisão inédita na Arquidiocese de Braga

Pela primeira vez na arquidiocese de Braga foi empossado como presidente de uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) de direção canónica não um padre mas um leigo. Trata-se do Lar Familiar da Tranquilidade de Vila das Aves que, desde a passada quinta-feira, é liderada por Tiago Vilaça, que sucede ao padre Fernando Azevedo Abreu.

O arcebispo primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, deu posse aos novos órgãos sociais durante as comemorações dos 30 anos desta instituição e no dia internacional da terceira idade e da música.

A ocasião foi aproveitada para inaugurar e benzer a nova entrada do Lar, mas sobretudo, para homenagear o fundador e presidente desta IPSS, o padre Fernando Azevedo Abreu que a liderou durante 30 anos. O sacerdote foi pároco de S. Miguel de Vila das Aves, integrada no Arciprestado de Famalicão, mas pertencente ao munícipio de Santo Tirso, durante quase 40 anos. Foi substituído oficialmente no passado dia 27 de setembro pelo padre José Carlos Sá e, por inerência de funções, teve de abandonar a presidência do Lar Familiar da Tranquilidade. Saída que, na prática já aconteceu em janeiro passado quando lhe foi diagnosticada uma doença de foro oncológico. Nesse momento, o padre Fernando delegou todas as suas funções e competências no vice-presidente, Tiago Vilaça.

Este leigo, juntamente com a sua equipa, geriu a instituição durante os últimos meses aguardando a nomeação e tomada de posse do novo pároco. O normal seria assumir a liderança do Lar Familiar da Tranquailidade, mas o padre José Carlos Sá, juntamente com D. Jorge Ortiga, acordaram convidar Tiago Vilaça a assumir oficialmente a liderança da instituição. O convite foi aceite e a tomada de posse ocorreu quinta-feira.

“É uma alteração face ao que estamos habituados”, apontou o prelado bracarense, sendo que a presidência de um leigo não acontece “apenas por necessidade ou conveniência”, mas “porque acreditamos na capacidade e no trabalho dos leigos”. “Quero agradecer ao Tiago e garantir que vamos caminhar juntos”, numa referência ao tema do novo ano pastoral, agradecendo aos novos órgãos sociais “a sua disponibilidade”. “Este é o nosso turno e vamos conseguir fazer um bom trabalho com a ajuda do nosso novo pároco”, apontou, por seu lado, o novo presidente, Tiago Vilaça, reconhecendo que “estamos numa fase de transição”, mas que é preciso “aproveitar o que de bem está feito e olhar para a gestão do padre Fernando como um exemplo a seguir”.

Trata-se de algo inédito na arquidiocese de Braga e apenas o terceiro caso no país (há mais duas IPSS ligadas à Igreja na diocese de Lisboa neste contexto), indicou à margem da sessão o padre Lino Maia, presidente da Confederação Nacional de Instituições Sociais (CNIS). “Continuem assim”, apontou, por seu lado, o presidente da Câmara de Santo Tirso. Alberto Costa falou do Lar Familiar da Tranquilidade como uma instituição “de excelência”, dando “ânimo e felicitações para o futuro”, colocando a autarquia à disposição das necessidades.

Também para o novo pároco avense a Igreja deve ser “menos clerical”, entendendo que “os leigos não são criados dos padres, mas pessoas responsáveis, empenhadas e de confiança por isso há cargos melhor entregues a leigos do que a clérigos”. “Depois de pensar no assunto e de consultar o D. Jorge decidi convidar o Tiago a assumir a presidência e a formar a sua equipa, ele aceitou e a equipa também aceitou”, explicou José Carlos Sá, perante cerca de duas dezenas de convidados que se concentraram no espaço exterior do Lar, ficando a colaborar na instituição enquanto órgão de vigilância, de acordo com os estatutos.

Na mesma altura, todos os colaboradores da instituição foram homenageados pela dedicação dada nesta altura de pandemia.