Milhares viveram a Páscoa de forma única

Cortejo Pascal em Vila das Aves aponta Cristo como o essencial

O Cortejo Pascal em Vila das Aves é um evento ímpar e que marca a diferença na região. Ao final do dia de Páscoa, as ruas da vila enchem-se de gente para assistir a esta iniciativa da paróquia do Arciprestado de Famalicão e da Diocese de Braga, numa tradição que se mantém há mais de 30 anos.

ressurreicao_cristo

”Este cortejo Pascal pretende dar valor ao simbólico e às coisas simples, mas sempre a apontar para o essencial e o essencial é Jesus Cristo”, evidenciou o pároco, Padre Fernando de Azevedo Abreu, minutos antes de se iniciar o desfile de centenas de figurantes e de vários carros alegóricos alusivos ao tempo Pascal que agora se inicia.

No quartel dos Bombeiros Voluntários de Vila das Aves, o sacerdote citou a palavra de Deus e o evangelho de S. Lucas para indicar que este é o único que fala de Jesus não apenas como ressuscitado, mas também como “vivente”.

3ano_catequese

Antes da partida, o Padre Fernando indicou ainda que o cortejo “é um ato de fé, porque acreditar na ressurreição de Cristo é, por si só, o maior ato de fé”, mas também neste aspeto a fé “não basta ser individual, mas sim comunitária e eclesial”. Ao fazer estas afirmações, o pároco agradeceu o empenho de todos os que, através dos grupos e movimentos paroquiais, se dedicam a preparar e a participar nesta iniciativa que é, sem dúvida, o maior evento anual desta paróquia e que pretende valorizar “a festa das festas dos cristãos”.

Este ano, sob o mote do ano pastoral da arquidiocese de Braga “Ser Esperança”, várias alusões foram feitas a este tema, nomeadamente a ideia de “sermos um povo que caminha em desertos”. Neste aspeto, a paróquia decidiu promover a iniciativa de tentar chegar às periferias numa vila onde já é evidente o aspeto citadino, a ideia é chegar aos grandes aglomerados habitacionais onde é mais difícil a tarefa de evangelizar.

Além disso, foram evidenciadas algumas formas importantes de “Ser Esperança”, nomeadamente na doença, na solidão e na terceira idade, tendo sido valorizados os profissionais que trabalham nestas áreas, bem como a ação nobre do voluntariado.

envangelizar

Neste aspeto e numa corporação de bombeiros voluntários, o dia foi ainda aproveitado para benzer duas novas valências desta associação que em muito pretendem melhorar a ação e o trabalho destes soldados da paz, nomeadamente a nova central de comunicações e os novos balneários do quartel.

Como habitualmente, o cortejo foi até à Igreja Matriz onde decorreu a Eucaristia de encerramento do dia de Páscoa, que contou com a dinamização das crianças do terceiro ano da catequese, que este ano fazem a sua primeira comunhão, ao som do hino do Tempo Pascal, à semelhança do que havia acontecido na Quaresma, que teve música e letra apropriada e dedicada. A festa terminou com um jantar convívio que juntou todas as equipas do Compasso Visita Pascal.
Celso Campos