Irmã Iliana, quem és tu?

IRMÃ ILIANA, QUEM ÉS TU?

– Sou a María Iliana Marulanda Marín, eleita Madre Superiora do Mosteiro da Visitação de Vila das Aves, na sexta-feira, dia trinta de novembro de 2018, sob a presença e a presidência do Vigário Episcopal de Braga, Padre Dr. Manuel Morujão.

Iliana1

– Onde nasceste?

–  Nasci na Colômbia, país maioritariamente católico que está situado na América do Sul e que tem mais de quarenta e nove milhões de habitantes, visitado pelo Papa Francisco nos dias 6 a 11 de setembro de 2017.

– Que estudos alcançaste?

– Concluí o doutoramento em Desenho Arquitetónico na Universidade Privada de Manizales, fundada em 1972, cuja cidade é capital do Departamento de Caldas.

– Como descobriste  a vocação religiosa?

– No ambiente académico ouvi as minhas colegas cochichando sobre a vida religiosa, cuja palavra “clausura” eu nunca tinha ouvido; como esta palavra ficou a ecoar no meu espírito, aproveitei as férias para passar dois dias num mosteiro da Visitação, juntamente com outra minha colega; nessa experiência fiquei sensibilizada com estas três coisas: silêncio, pobreza e limpeza.

– Então, quantos anos tinhas quando foste para a vida religiosa?

– Aos vinte e sete anos iniciei o Postulantado e depois fiz o Noviciado, mas a minha Profissão Religiosa já foi feita no Mosteiro de Marselha, a cidade mais antiga de França.

– Qual a explicação para saíres de lá e vires para Portugal?

– Eu estive em Marselha quinze anos e saí de lá porque esse mosteiro fechou e na dispersão das Irmãs para outros mosteiros, alguém me falou em Portugal, mas sem eu ter o mínimo conhecimento deste país.

iliana2

– Quando e como chegaste a Vila das Aves?

– Cheguei em outubro de 2001, tendo sido esperada no aeroporto Sá Carneiro pela Irmã Lúcia e pela Irmã Elisa (sempre muito amável), Assistente da Madre Superiora Maria Pia que depois vim a descobrir que era toda ouvidos; nesse dia fomos a Fátima e aos nossos mosteiros da Batalha e de Braga.

– O que é que mais te custou na clausura do nosso Mosteiro da Visitação?

– Nessa experiência de três dias encontrei um frio de rachar que logo pensei que  não o ia suportar!

– Então, porque é que voltaste para a Vila das Aves?

– Em onze de maio de 2002 vim definitivamente para este mosteiro por ser uma comunidade religiosa alegre e acolhedora.

– Que projeto agora tens como Madre Superiora?

– Continuar a santificar-me, enfrentando o trabalho devagar e em paz, conforme assim procedeu e aconselhou o nosso santo fundador; irei escolher três conselheiras para o meu triénio, precedido de mais estes seis meses até maio de 2019, e implorar as graças dos nossos santos fundadores Francisco de Sales e Joana Francisca de Chantal.

– Tens alguma coisa a dizer ao pároco e aos paroquianos de Vila das Aves?

– Que os Avenses tenham adesão cordial à Igreja de Jesus Cristo e que dela aproveitem as ações de formação que ajudarão a crescer na comunhão com Deus e com os irmãos; ao meu pároco e a todos os párocos suplico que promovam mais a vida contemplativa e que, à semelhança de São Francisco de Sales, sejam pássaros a cantar num bosque de espinhos.

 

Vila das Aves, 04 de dezembro de 2018, primeira terça-feira do mês e dia litúrgico da Memória do presbítero e Doutor da Igreja, São João Damasceno que faleceu em 749 com cem anos, tendo sido perfeito teólogo das Imagens, grande poeta, eminente mariólogo e fecundo exegeta.

Padre Fernando de Azevedo Abreu