São Nuno, opção pelos valores do Reino

Este tema epigrafado foi abordado na quinta reunião ordinária do oitavo triénio do nosso Conselho Pastoral Paroquial pelo Dr. Carlos Alberto Pereira, Chefe Nacional do Corpo Nacional de Escutas-Escutismo Católico Português, na noite de sábado, dia nove de Maio do ano de dois mil e nove.

[01] [02] [03] [04] [05] [06] [07] [08]

Na foto nº01 eu estou a fazer uma breve apresentação do Conferente do qual eu fui Assistente de Campo quando ele participou no oitavo Curso da Insígnia de Madeira, realizado no Fraião de 20 a 28 de Agosto de 1977. Exactamente um ano depois (Agosto de 1978) ele foi Chefe de Campo dos Exploradores no Acampamento Nacional do C.N.E. em Ílhavo (Aveiro), tendo eu sido Assistente de Campo. Passados dois anos, o Dr. Carlos Alberto Lopes Pereira quis casar catolicamente com a Arminda Maria Antunes Soares, e eu desloquei-me de Lousado ao Santuário de Porto de Ave (sito na paróquia de Taíde, Póvoa de Lanhoso) para ser o Celebrante e o Oficiante nesse inesquecível domingo, dia vinte e quatro de Agosto do ano de mil novecentos e oitenta. Foi para mim uma mui alegre surpresa a Arminda Maria ter vindo também ao nosso Conselho Pastoral Paroquial e poder receber uma simbólica prenda paulina das mãos do nosso Joaquim Sérgio, Chefe do Agrupamento 0004 de C.N.E. de Vila das Aves (foto nº02).

Vou agora sintetizar aquilo que o Dr. Carlos Alberto partilhou durante trinta e sete minutos, tendo começado por situar Nuno Álvares Pereira no ambiente de crise que ele encontrou e viveu no seu tempo, começando pela guerra dos cem anos, passando pelo Cisma de Avinhão e terminando na guerra de sucessão com a morte do Rei Dom Fernando I em 22/Outubro/1383, tendo-se envolvido na luta pela coroa lusitana o seu irmão D. João, Mestre de Avis, que nomeou Nuno Álvares Pereira Condestável, leia-se Comandante supremo do Exército nessa ventura e aventura contra o Rei de Castela.

Para sempre valorizar o título dado à Conferência , o Dr. Carlos Alberto (fotos 03 e 04) quis sublinhar que a educação dá-se em casa para consequentemente encontrarmos em Nuno Álvares Pereira estes valores: pátria, forte personalidade, fidelidade ao bem comum, unidade, perseverança, honra, heroicidade, serviço, liderança, espiritualidade mariana, oração eucarística, desprendimento, caridade e santidade; neste ponto ele esclareceu que cada um de nós é santo sem ter feito grandes feitos, mas santificando-se naquilo que faz.

Nós hoje temos de viver o nosso tempo tão profunda e intensivamente como Nuno Álvares Pereira, tendo em vista que as nossas omissões também deixam marcas. Ousadamente pediu a todos os conselheiros para fecharem os olhos, abrirem os ouvidos e tentarem em silêncio deixar-se interpelar por estas duas agravantes da crise em que vivemos: individualismo e relativismo (falou dos recasados…). Como político (lembremo-nos que já foi candidato à Câmara Municipal de Braga) fez esta citação do político Bagão Félix: os católicos não podem ser descafeinados.

No momento do diálogo, a fascinante intervenção da Professora Rosalinda permitiu ao Dr. Carlos Alberto (foto nº05) poder responder providencialmente (ele não sabia das intervenções antes da “ordem do dia”) aos desafios feitos hoje à Família, à Escola e à Igreja; é que o Dr. Carlos Alberto é também o Presidente do Conselho Executivo do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. Mas, como Chefe Nacional do Escutismo Católico Português, o Dr. Carlos Alberto já tinha falado do seu “Plano Trienal” aos Assistentes reunidos no Campo Nacional de Fraião em vinte e oito de Maio do ano passado.

Eu o ouvi atentamente, e também ouvi rasgados elogios dos Assistentes, pois se não basta caminhar e é preciso “Dar Sentido ao Caminho”, então ele implementou estas três etapas distintas, complementares e interligadas, cada uma com um tema específico:
1ª Etapa: Caminho – 2008/2009, à luz de S. Paulo.
2ª Etapa: Valores – 2009/2010, à luz de São Nuno de Santa Maria.
3ª Etapa: Caridade – 2010/2011, à luz da Bem-aventurada Teresa de Calcutá.

Vem a propósito eu aqui registar o que ouvi no primeiro de três Encontros do Curso de Assistência Escutista, realizado a nível nacional durante a quarta-feira ocorrida no dia vinte de Maio passado, no Campo-Escola de Fraião, e que foi dito pelo actual Assistente Nacional do C.N.E., o Padre Dr. Rui Silva: neste momento o Escutismo Católico Português pode orgulhar-se de ter um óptimo Chefe Nacional.

A foto nº06 regista o P.F. a ler a dedicatória que está registada na foto nº07, escrita pelo Dr. Carlos Alberto no livro de bolso “Novo Testamento” (foto nº08) e editado para Escuteiros.


foto09

Nuno Álvares Pereira, a quem Camões em “Os Lusíadas” dedicou cinco estâncias num total de quarenta versos, nasceu em Portugal com toda a probabilidade em Cernache do Bonjardim, no dia 25 de Junho de 1360 e não em 24 como muito bem explicou Aires Nascimento, Professor Catedrático da Universidade de Lisboa; membro da Academia das Ciências de Lisboa e membro da Academia Portuguesa de História; faleceu no domingo da Páscoa do Senhor em um de Abril de 1431, com setenta anos de idade; foi beatificado em 1918 pelo Papa Bento XV e foi canonizado pelo Papa Bento XVI em vinte e seis de Abril do ano de dois mil e nove. Agradeço à Ordem Carmelita a feitura e o envio do cartaz aqui digitalizado na foto nº09, contributo importante para a nossa identidade e memória colectiva.

Vila das Aves, 2/6/2009, primeira terça-feira do mês.

Padre Fernando de Azevedo Abreu.